segunda-feira, 8 de março de 2010

O CONCEITO DE PRESBITERIANISMO


1.1 O Conceito de Calvinismo e Presbiterianismo
O conceito antigo, moderno e contemporâneo de calvinismo, está baseado no conteúdo dos ensinamentos de Calvino e da tradição reformada, ou seja, de todo celeiro da reforma do século XVI e anterior a ela .
A tradição reformada tem alta consideração as contribuições especificas como as de Martinho Lutero, Ulrico Zwinglio , Guillherme Farel , Jonh Knox e, particularmente,
de João Calvino , também encontra seu forte aparato nos gigantes da fé que os antecederam, tais como Anselmo e Agostinho e principalmente nas cartas de Paulo e nos ensinamentos de Jesus Cristo.
O termo Reformado originário especialmente do Calvinismo, é um conceito usado historicamente para as igrejas da reforma do séc. XVI influenciadas por Zwinglio e Calvino diferenciando das igrejas luteranas e das Igrejas oriundas do movimento anabatista, embora alguns grupos anabatistas posteriores aderiram ao Calvinismo. Com os luteranos, a diferença girou em torno da compreensão sobre a presença de Cristo na Ceia do Senhor.
Hoje, usa-se o termo reformado para conceituar quem crê nos brados da reforma (Sola Scriptura, Sola Fide, Sola Gratia, Solus Christus e Soli Deo Gloria, respectivamente, somente as Escrituras, somente a fé, somente a graça, somente Cristo, somente a Deus toda a glória).

Os reformados são conhecidos também pela crença nas doutrinas da graça ou chamados “cinco pontos do calvinismo” (acroste em inglês TULIP – Total depravation, Inconditional election, Limited atonement, Irresistible grace, Perseverance of saints, respectivamente Depravação total, Eleição incondicional, Expiação limitada, Graça irresistível, Perseverança dos santos) elaborados no Sínodo de Dort na Holanda em 1619 em resposta aos cinco pontos do arminianismo, ou mais delimitadamente conhecidos pela crença na doutrina da eleição e predestinação.
O homem responsável pela sistematização doutrinária e pela expansão do pro¬testantismo refor¬mado foi João Calvino. O “pai do protestantismo reformado” é Zwínglio. Mas o homem que moldou o pensamento refor¬mado foi João Calvino. Por isso, o sis¬tema de doutrinas adotado pelas Igrejas Refor¬ma¬das ou Presbiterianas chama-se cal¬vinismo.
Errol Hulse , diz de forma sucinta o que é ser reformado:
“Ser reformado é ter a experiência da graça no coração. Ter uma experiência da graça significa o pecador reconhecer a própria depravação e que sua justificação só é alcançada pela graça, mediante a fé. É reconhecer que o homem está escravizado pelo pecado e incapacitado de chegar a Deus por sua própria vontade, até que Deus, por sua graça, escolha a quem quer, para que, em arrependimento, venha até Ele e seja salvo”.

Benjamin Warfield apresenta um conceito de Calvinismo definindo-o como:
O Corpo completo de concepções teológicas, éticas, filosóficas, sociais e políticas, que, sob a influência da mente mestra de João Calvino, elevaram-se a si mesmas ao ponto de alcançar domínio em terras protestantes na época posterior à Reforma, e que deixou uma marca permanente não só sobre o pensamento da humanidade, mas também sobre a vida da história dos homens, a ordem social dos povos civilizados, incluindo as organizações políticas dos Estados (Warfield, 1931, p. 353).

O Calvinismo também pode ser definido como as idéias consolidadas de Calvino e seus seguidores, basicamente daqueles oriundos da Academia de Genebra fundada pelo próprio Calvino. Aquela academia formou muitos ministros para as Igrejas bem como pessoas que não foram ordenadas os quais influenciaram a sociedade européia nos séculos XVI e XVII. A partir de Genebra, o calvinismo tornou-se um movimento internacional, influenciando até mesmo o recém descoberto Continente Americano.
Paulo Anglada no seu opúsculo, O que é Calvinismo? Encontrado na introdução do seu livro: Calvinismo: As Antigas Doutrinas da Graça, diz:
O calvinismo na realidade é a síntese das doutrinas dos reformadores. As confissões de Fé das igrejas: Luterana, Reformada, Presbiteriana, Anglicana, Congregacional e Batistas professam, todas pelo menos nas suas confissões de fé originais, o sistema doutrinário conhecido como calvinismo. Se faz necessário sabermos disso, porque na maioria das vezes, algumas pessoas associam a doutrina a uma igreja em particular. Por exemplo: A predestinação é doutrina da Igreja Presbiteriana. O calvinismo na realidade é um sistema doutrinário bem mais amplo, harmônico, sistemático, e consequentemente mais sólido. Ou seja, o calvinismo não está limitado aos cinco pontos que serão expostos durante esta semana, ele vai mais além até porque os cinco pontos estão associados basicamente a questão soteriológica. (Introdução: 2002, I).
Ainda Diz: “O evangelho, conforme crido e proclamado pelo calvinismo, é o evangelho do Senhor Jesus, do Apóstolo Paulo, de Agostinho, de Lutero, de Calvino, de J. Knox, de J. Edwards, de Spurgeon, de Ryle, de Lloyd Jones, e tantos outros”.

Na Suíça, as idéias de Calvino foram amplamente aceitas com a promulgação da Segunda Confissão Helvética de 1566. Na Inglaterra no Diretório de Culto e nas confissões. Nos Países Baixos (hoje Holanda e Bélgica) em suas confissões de Fé. Na França o crescimento foi ainda maior, como registra:
Na França, o crescimento das igrejas reformadas após o primeiro sínodo naquele país, em 1559, foi espetacular. Os fatos falam por si mesmos: havia somente cinco igrejas organizadas em 1555 (em Paris, Meaux, Angers, Poitiers e Loudun), perto de quatro anos depois, quando se reuniu o Primeiro Sínodo Nacional em Paris, em 1559, havia cerca de cem igrejas; no ano de 1562, que marca o início das guerras religiosas, o número de igrejas chegou a 2.150 (Courthial, 1990, p. 89).

Na Alemanha, o Catecismo de Heidelberg, organizado por Zacarias Ursinus e Gaspar Olevianus, em 1563, se não serviu para expandir o calvinismo naquele país além dos seus modestos números, foi, no entanto, uma valorosa contribuição para o calvinismo nos Países-Baixos. Desde a execução de Patrick Hamilton , em 1528, os pontos de vista protestantes se disseminaram na Escócia. John Knox transportou para lá a doutrina calvinista e o sistema organizacional eclesiástico estabelecido na Igreja de Genebra, que caracterizou esse movimento como Presbiterianismo na Escócia, e Puritanismo na Inglaterra.
O termo presbiteriano foi adotado pelos reformados nas Ilhas Britânicas (Escócia, Inglaterra e Irlanda). Isso se deve ao contexto político-religioso em que o protestantismo foi introduzido naquela região, no qual a forma de governo da igreja teve uma importância preponderante. Os reis ingleses e escoceses preferiam o sistema episcopal, ou seja, uma igreja governada por bispos e arcebispos, o que permitia maior controle da Igreja pelo Estado. Já o sistema presbiteriano, isto é, o governo da igreja por presbíteros eleitos pela comunidade e reunidos em concílios, significava um governo mais democrático e autônomo em relação aos governantes civis. Das Ilhas britânicas, o presbiterianismo foi para os Estados Unidos e dali para muitas partes do mundo, inclusive o Brasil.

O Presbiterianismo tem uma seqüência histórica. Nesta afirmativa, conclui Matos:
O presbiterianismo ou movimento reformado nasceu da Reforma Protestante do século 16. Tendo o protestantismo começado na Alemanha, sob a liderança de Martinho Lutero, pouco depois surgiu uma segunda manifestação do mesmo no Cantão de Zurique, na Suíça, sob a direção de outro ex-sacerdote, Ulrico Zuínglio (1484-1531). Para distinguir-se da reforma alemã, esse novo movimento ficou conhecido como a Segunda Reforma ou Reforma Suíça. O entendimento de que a reforma suíça foi mais profunda em sua ruptura com a igreja medieval e em seu retorno às Escrituras fez com que recebesse o nome de movimento reformado e seus simpatizantes ficassem conhecidos simplesmente como reformados. Ao morrer, em 1531, Zuínglio teve um hábil sucessor na pessoa de João Henrique Bullinger (1504-1575). Todavia, poucos anos depois surgiu um líder que se destacou de todos os outros por sua inteligência, dotes literários, capacidade de organização e profundidade teológica. Esse líder foi o francês João Calvino (1509-1564), que concentrou os seus esforços na cidade suíça de Genebra, onde residiu durante 25 anos. Através da sua obra magna, a Instituição da Religião Cristã ou Institutas, comentários bíblicos, tratados e outros escritos, Calvino traçou os contornos básicos do presbiterianismo, tanto em termos teológicos quanto organizacionais, à luz das Escrituras Sagradas. Graças aos seus escritos, viagens, correspondência e liderança eficaz, Calvino exerceu enorme influência em toda a Europa e contribuiu para a difusão do movimento reformado em muitas de suas regiões. Dentro de poucos anos, a fé reformada fincou sólidas raízes no sul da Alemanha (Estrasburgo, Heidelberg), na França, nos Países Baixos (as futuras Holanda e Bélgica) e no leste europeu, onde surgiram comunidades reformadas em países como a Polônia, a Lituânia, a Checoslováquia e especialmente a Hungria. Em algumas dessas nações, a reação violenta da Contra-Reforma limitou ou sufocou o novo movimento, como foram, respectivamente, os casos da França e da Polônia. (MATOS: 2009, p.2).

O Presbiterianismo ganhou este nome especialmente na Escócia com John Knox no final do século XVI. Os seguidores do movimento iniciado por Zwínglio e estruturado por Calvino se espalharam ime¬diata¬mente por toda a Europa. Na França eles eram chamados de hu¬guenotes; na Inglaterra, purita¬nos; na Suíça e Países Baixos, reformados; na Escócia, presbiterianos.
A Escócia é uma país muito importante na história do protestantismo reformado. Foi lá que surgiu o nome presbiteriano. Por isto, alguns livros de história afirmam que o presbiterianismo nasceu na Escó¬cia.
A Igreja Reformada Escocesa consolidou o sistema de governo Eclesiástico e a sistematização da teologia calvinista mais elevada daquela época. Por outro lado, o Estado Escocês tornou-se quase todo Presbiteriano, influenciando diretamente no Governo secular.
“O princípio presbiteriano básico do governo eclesiástico representativo estava arraigado na antropologia de Calvino ... Calvino temia igualmente as pretensões e tirania do governo individual e a volubilidade e confusão das massas. Ele aprovava para o Estado e a Igreja, com bases teológicas, a democracia temperada pela aristocracia, ou seja, pelos mais qualificados. A vontade de Deus está mais próxima de ser realizada se as decisões não são tomadas nem por indivíduos nem por todo o povo, mas por aqueles que foram escolhidos por suas qualificações especiais.” (LEITH, 1997, p. 265).

O presbiterianismo foi levado da Escócia para a Inglaterra; de lá, para os Esta¬dos Unidos da Amé¬rica.
Em 1726 teve início um grande despertamento espiritual nos Estados Unidos. Este desperta¬mento levou os presbiterianos a se interessarem por missões estrangeiras. Missionários foram enviados para vá¬rios países, inclusive o Brasil. No dia 12 de agosto de 1859 chegou ao nosso país o primeiro missionário presbiteriano: Ashbel Green Si¬monton. O Presbiterianismo destacou os pontos principais da doutrina calvinista no que diz respeito à soberania de Deus. Os Cinco Pontos do Calvinismo são apenas a afirmação da soberania de Deus na salvação do homem. O Presbiterianismo ensina que o autor do universo é, também, autor da salvação. Ensina que Deus é amor e que esse amor, plenamente revelado em Cristo, é mais forte do que a morte. (...). Declara que Deus, fonte de toda a graça e de toda a vida, concede ao pecador graça e vida. Declara, finalmente, que o homem convertido é filho de Deus para sempre. O plano, o amor, a vida, o poder e as promessas de Deus fazem da salvação do homem arrependido uma certeza gloriosa.
No elemento caracteristicamente calvinista do presbiterianismo estão as doutrinas usualmente denominadas os cinco pontos peculiares ao calvinismo: a) predestinação incondicional, oposta à expiação condicional; b) expiação definida ou redenção particular, oposta à expiação indefinida; c) a depravação total do gênero humano, oposta à depravação parcial; d) a graça eficaz, oposta à graça incerta; e) a perseverança final dos santos, oposta à perseverança parcial. Esses cinco pontos são peculiares ao presbiterianismo e distinguem os calvinistas dos demais cristãos evangélicos. Muitos batistas e congregacionais, e alguns episcopais e metodistas adotaram os Cinco Pontos como expressão de fé. Nesses Cinco Pontos, teologicamente são Calvinistas.
Rev. Mauro Ferreira

9 comentários:

  1. Seja bem vindo ao http://projeto5.blogspot.com :D

    ResponderExcluir
  2. Ola irmãos presbiterianos!

    Feliz de encontrar irmãos da minha querida denominação na NET.

    Muito legal o trabalho que vocês fazem aqui! Parabéns. Espero que divulguem bons artigos de grandes teólogos e pregadores reformados.

    Sou presbiteriano de São Paulo, capital e formado em teologia pelo Reformed Theological Seminary, na Florida.

    Estou passeando na net para conhecer blogs cristãos, saber o que o povo está buscando e falando... E para divulgar meu blog, o Genizah.

    Vou seguir vocês e espero pela oportunidade daquela troca de irmão em Cristo aqui ou no meu blog, se você me der a honra e prazer da visita.

    Genizah é um blog de apologética cristã com uma boa dose de humor. Nosso time é formado por escritores, pastores, humoristas e chargistas cristãos.

    Apresentamos artigos mostrando a Beleza da teologia reformada, mas também damos bom combate a apostasia que tem tomado a igreja evangélica brasileira.

    Espero que gostem. Paz e Bem!

    Danilo

    http://www.genizahvirtual.com/

    ResponderExcluir
  3. Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor(a) para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
    Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias. Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Revendo continue aom esta nobre causa, divulgar a Palavra do Senhor com tamanha sabedoria, que Ele proporcione dádivas em tua vida.
    Amém

    ResponderExcluir
  5. Caríssimo Rev. Mauro
    ou da PIB, mas tenho um amor especial pe Igj Presbiteriana de Vinhais em São Luis (Rev. Theotônio).
    Obrigado por se associar a nossa Rede Social Cristã,
    Estou seguindo seu blog – visite o nosso (Doutrina Cristã).
    A ideologia não se mantém pelo que você domina, mas com o que você pensa e idealiza (LC).
    Fique na paz de Cristo.
    Luiz Clédio

    ResponderExcluir
  6. O Sumo Sacerdote entrava no Santo dos Santos com uma corda amarrada no tornozelo?

    Pesquiza teológica de:Abnaias Duraes

    Você já pode ter ouvido esta história antes.
    Porque o sumo sacerdote poderia ser morto por Deus no Santo dos Santos, se ele não estivesse devidamente preparado de acordo com as instruções do Divino, uma corda era amarrada rotineiramente em seu tornozelo. Então, se ele caísse morto, seu corpo poderia ser arrastado para fora.
    Várias versões desta afirmação têm sido repetidas nos círculos cristãos e judeus.
    Por enquanto, ainda não foi localizada a fonte original, mas aparentemente ele surgiu muito tempo depois da existência do último templo judeu. A evidência bíblica e histórica indica que não havia nenhuma corda, pelo menos não para uso comum.
    O Dr. W.E. Nunnally, professor de hebraico e de judaísmo, relatou:
    "A lenda da corda amarrada no sumo sacerdote é apenas isso: uma lenda. Ela tem origens obscuras na Idade Média e continua sendo repetida. Ela não é encontrada na Bíblia, nos apócrifos, nos Manuscritos do Mar Morto, em Josefo, na Pseudepigrapha, no Talmud, Mishná, ou qualquer outra fonte judaica.
    A Fundação de Estudos Bíblicos (associado ao Dallas Theological Seminary), da mesma maneira, reporta que suas pesquisas classificaram a "corda ao redor do tornozelo, ou cintura, ou talvez o pé" como lenda "para descansar." Eles também apontam que Arão estava a usar uma estola azul, com sinos em sua bainha (Êxodo 28:31-35), quando ele entrou no Lugar Santo (não é o Santo dos Santos) (Levítico 16:2-4). Quando ele entra no Santo dos Santos, ele lava e veste roupas de linho especial, não o éfode com sinos. "Se não houver os sinos para serem tocados, morrerá." (Êxodo 28:35)
    A Associação de Amigos Judeus Messiânicos levanta pontos com relação à dificuldade de arrastar um sacerdote morto fora do Santo dos Santos:
    "Você só pode arrastar para fora o sacerdote, se ele morreu no lugar Santo. Pela forma como as cortinas do templo foram concebidas, o sacerdote não poderia ser arrastado para fora do Santo dos Santos. O véu foi feito com muitas camadas de tecido. As cortinas eram sobrepostas e faziam um pequeno labirinto através do qual o sacerdote caminhava ...portanto era impossível ser puxado por uma corda "

    ACESSE E DEIXE SEU COMETÁRIO:
    http://abnaiasduraes.blogspot.com/
    ACESSE E DEIXE SEU COMETÁRIO:
    http://presbiterianos.ning.com/profile/AbnaiasDuraesdaSilva
    abnartes@bol.com.br

    ResponderExcluir
  7. 1ª VIAGEM MISSIONÁRIA

    Missionario Abnaias Durães
    Cel: (74) 9966-3738
    Igreja Presbiteriana do Brasil-Irecê-Ba
    Pr.Rev.Cairo Mendonça.

    Missionário Josafá Leite
    Cel: (74) 9974-6769
    Assembléia de Deus-Lapão-Ba
    Pr.Sandoval Reis.

    Saímos de Irecê no dia 18 (segunda-feira) de Julho de 2011.
    Nos povoados do município de Itaguaçú da Bahia.
    Encerramos a missão no dia no dia 22 (sexta-feira) de Julho de 2011.
    Povoados de:
    Toco Preto
    Faz.Almas
    Melancia
    Jacarezinho
    Transamazônica
    Missão
    Baixa Funda
    São João
    Encoso
    Muquem
    Pau Seco
    Nova Vereda
    Acampamos pela primeira vez (segunda-feira:18/06/2011) no povoado de Toco Preto na fazenda de Valmir e Fátima um casal que aceitaram Jesus como Senhor!Eles nos forneceram tudo que precisamos.Queriam que a gente dormissem dentro da casa deles,mas nos dormimos nas nossas barracas.
    Acampamos pela segunda vez (terça-feira:19/06/2011) no povoado Missão.Acampamos á beira do Rio Verde onde armamos nossas barracas e fizemos uma fogueira onde fizemos nossa janta.Oramos,louvamos a Deus,e contamos as
    maravilhas de Deus.Fomos renovados espiritualmente.Foi uma benção!
    Acampamos pela terceira vez (quarta-feira:20/06/2011) no povoado de Muquem na fazenda de Guilherme á beira do rio onde armamos nossas barracas e fizemos uma fogueira onde fizemos nossa janta.Oramos,louvamos a Deus,e contamos as maravilhas de Deus.Fomos renovados espiritualmente.Foi uma benção!
    Acampamos pela quarta vez (quinta-feira:21/06/2011) no povoado de Maravilha na fazenda de Jose Dia um irmão da Presbiteriana, á beira do rio onde armamos nossas barracas e fizemos uma fogueira onde fizemos nossa janta.Oramos,louvamos a Deus,e contamos as maravilhas de Deus.Fomos renovados espiritualmente.Foi uma benção!
    Encerramos a missão e retornamos á Irece as 4.40 hs da tarde de Sexta-feira com o coração rejubilando de alegria por termos evangelizados 124 almas que receberam a Jesus como Senhor!

    ResponderExcluir
  8. www.abnaiasduraes.blogspot.com
    Abnaias Duraes
    abnartes@bol.com.br
    Cel.(vivo)
    (74) 9966-3738

    SE NÃO VAIS, ENVIA...
    Jesus disse:
    IDE (VÁ) POR TODO O MUNDO E PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA.
    (Marcos 16.15 )
    Você viu o relatório sobre a 1ª VIAGEM MISSIONÁRIA que fizemos no percurso de mais de 300 km em 12 povoados á beira do Rio Verde,onde 124 pecadores foram salvos pela a graça recebendo o Senhor Jesus pela nossa pregação!
    Fizemos tudo pela fé, porém o Dono da Obra nos preparou tudo e levantou pessoas que nos ajudaram de todas as formas.
    E nos esforçamos também com os nossos poucos recursos e fomos e Deus nos abençoou!
    Queremos fazer a
    2ª VIAGEM MISSIONÁRIA
    Precisamos da sua ajuda em oração e da forma que Deus te conceder!
    Caso você POSSA E QUEIRA em nome de Jesus nos ajudar nesta missão, segue abaixo a Conta Missionária:
    não importa a quantia que você nos enviar,nem que seja a oferta da “viúva pobre”saiba que Deus muito vai te abençoar como ele promete na sua Palavra aos que ajudam os missionários:

    MEU DEUS SUPRIRÁ
    TODAS AS VOSSAS NECESSIDADES
    SEGUNDO AS SUAS RIQUEZAS ATRAVÉZ DE CRISTO JESUS.
    (Filipenses 4.19)

    CONTA MISSIONÁRIA:
    Banco Bradesco
    Conta Poupança: 1001608.8
    Agencia: 3601.3
    Abnaias Durães da Silva

    ResponderExcluir
  9. ACESSE, SIGA E DEIXE SEU COMENTÁRIO:
    Veredas Missões
    www.veredasmissoes.blogspot.com.br
    Divulgando as missões
    interdenominacionais
    Contatos:
    (74) 9966-3839
    abnartes@bol.com.br
    Conta Missionária:
    Banco Bradesco:
    Ag: 3601.3
    c/p: 1001608.8

    ResponderExcluir